sub som

ENTREVISTA: Mogwai fala do novo cd, do Brasil e manda Bush ao inferno

Posted in álbum, entrevista by Felipe Leal on 4 julho, 2008
Capa de The Hawk is Howling

Capa de The Hawk is Howling

Considerada um das maiores expoentes do post-rock mundial, a banda escocesa Mogwai lançará, no próximo dia 22, “The Hawk Is Howling”, que vem sendo considerado pela imprensa internacional como o álbum mais aguardado do grupo até hoje. Em entrevista exclusiva ao Subsom, o guitarrista Stuart Braithwaite comentou a carreira da banda, o novo disco, as desavenças com a britânica Blur e ainda deu um recado ao presidente republicano George W. Bush, mandando-o ao “inferno”.

Bem humorado, o quinteto escocês deu nomes inusitados às dez músicas do novo disco, a exemplo de “I’m Jim Morrison, I’m Dead”, “The Sun Smells Too Loud” e “I Love You, I’m Going to Blow Up Your School”. Essa última, explica Braithwaite, foi retirada de uma história contada pelo baixista Dominic Aitchison. “Ele nos fez jurar que não contaríamos! Não posso dizer o que é, desculpe”, desconversou

Quanto ao reconhecimento mundial que, entre outros parâmetros pode ser medido nas mais de 14 milhões de audições registradas no site Last.fm, o guitarrista diz que deve muito à internet. “Com certeza a rede facilita muito que pessoas dos mais inimagináveis países confiram sons que elas praticamente não ouviriam”, disse.

Quem se depara com a banda encontra rótulos que vão de space-rock, indie rock e noise rock ao mais comentado post-rock (passando por outras denominações com hífen e outros bichos). Braithwaite confessa não gostar muito do termo, que define como sendo “música de rock simples lenta e instrumental”.

“Para ser sincero, eu ouço uma quantidade enorme de tipos diferentes de música, mas dentro do estilo gosto da Explosions In The Sky (banda do Texas). Minhas bandas de rock instrumental favoritas são Black Dice, Growing e Wooden Ships”, contou, definindo o som do Mogwai somente como rock.

Segundo ele, que cresceu ouvindo Sonic Youth, Pixies, Jesus and Mary Chain, My Bloody Valentine e The Cure, o fato da esmagadora maioria das músicas da banda serem instrumentais não tem nenhuma ligação com estilo ou escolha. “É porque não cantamos bem! Ninguém na banda sabe cantar. Essa é a verdadeira razão, incrivelmente”, explica Stuart.

Como era de se esperar – e os fãs agradecem – o novo trabalho virá repleto de músicas sem voz. De acordo com o guitarrista, “The Hawk Is Howling” (Matador, 2008) levou cerca de dois meses para ser gravado e o processo de composição foi feito em quase dois anos, algo comparável ao período de criação do maravilhoso “Rock Action”, de 2001, que levou um ano para ser finalizado.

Seita Mogwai

Conforme conta Braithwaite, os membros do grupo gostam de provocar católicos mais fervorosos com músicas como “Mogwai Fear Satan” e “You Don’t Know Jesus”. “Eu nunca fui religioso, mas os outros caras freqüentaram colégios católicos que devem ter influenciado esses títulos. Eu até começaria uma religião fundamentada no Mogwai, mas só se as pessoas passassem a me venerar e me dessem dinheiro, o que é bem improvável”, brincou.

Questionado se o grupo se importa com o que os fãs pensam de suas músicas, Stuart foi direto: “Não muito. Desde que as pessoas gostem do que fazemos, música é para aproveitar, não para entender. Eu mesmo testo minhas composições nos meus dois cachorros, Princess e Rambo”, contou, rindo.

Ele também lembrou da polêmica que teve com os britânicos do Blur, quando confeccionaram camisas com os dizeres “Blur: Are Shite”, da ocasião em que bradavam “Fuck The Queen”, em plena Londres, e disse que o alvo das críticas atuais é o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. “Ele pode ir para o inferno”, disse.

Empreendedores, os membros da banda mantêm o selo Rock Action Records, sediado em Glasgow, na Escócia, e que lança artistas como Errors, Envy (gravou um ótimo split com a Jesu, recentemente), Cex, Papa M, e outros.

Além dos shows, o grupo gravou a trilha sonora de filmes como A Fonte e 21st Century Portrait. A experiência, segundo Stuart, não deve ser repetida esse ano. “Por enquanto não, a última vez que nos metemos com filmes não fomos pagos. Foi bastante ruim. O nome do filme é Paraíso Travel”, disse.

Quanto ao Brasil, Braithwaite disse não ter nada agendado e nem em vias de marcação, mas comentou que adorou a turnê de 2002, do álbum Rock Action, quando tocaram em São Paulo. Ele citou, no entanto, que o produtor da Rock Action Records James Orr Complex vive na capital paulista e pode viabilizar alguma apresentação futuramente.

“O País de vocês foi maravilhoso conosco. Diria até que os times de futebol brasileiros poderiam arrancar um empate com o Glasgow Celtics (da Escócia, país da banda) se os nossos jogadores estivessem cansados”, brincou.

Anúncios

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. felipe said, on 4 julho, 2008 at 18:21

    foto clássica. Banda clássica.
    mogwai é uma das melhores coisas que eu ouço.
    entrevista bem interessante.

    e glasgow celtics não conseguiria ganhar do sport sequer. ahaha mas, da-lhe senso de humor.

    parabéns ao rapaz, felipe, pela simplicidade.

  2. Felipe Leal said, on 5 julho, 2008 at 21:19

    Poisé! E muito acessível também, mostrando que uma possível carranca vinda com o reconhecimento não chegou à banda. Confesso que estou ansioso pelas músicas. : )

  3. André said, on 7 julho, 2008 at 6:17

    Inveja… vc conversou com o Stuart.
    =)

  4. Felipe Leal said, on 7 julho, 2008 at 9:19

    Ele é muito muito humilde, engraçado e boa gente. Grande banda!

  5. Micca said, on 11 julho, 2008 at 9:51

    Estou muito ancioso para ouvir o novo álbum. Se for melhor que os anteriores (assim como está sendo as expectativas) não imagino como seja.
    A capa não parece muito interessante.
    E já que gostaram do Brasil, poderiam voltar pra cá na turnê do novo disco né?

  6. flávia d. said, on 28 outubro, 2008 at 1:51

    eu tenho aulas de inglês com o james orr complex *rss é chris mack o nome dele.

  7. felipert said, on 8 setembro, 2011 at 5:50

    caramba, eu fiz esse primeiro comentário. e o engraçado é que nao lembrava, mas ia predizendo as palavras, como se eu tivesse escrito o artigo. mas nao, foi apenas a lembrança subconsciente. haha
    no dia do meu aniversário, inclusive haha :/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: