sub som

ctrl+c ctrl+v

Posted in música, videoclipe by Bruno Boghossian on 17 setembro, 2010

A popularização do mashup em meados dos anos 2000 pode ter ofuscado o remix e ter deixado de lado quem usava sample de um ou dois hits para compor faixas inéditas, mas os artistas do copia-e-cola ainda mostram que podem ser muito criativos e que têm música boa pra oferecer.

Descobri outro dia essa dupla batizada de Chiddy Bang – dois caras de 19 anos da Filadélfia que resolveram fazer um pouco de hip hop misturado com aqueles chicletes do eletropop que você não aguenta mais escutar em festa nenhuma. Acredite: eles conseguiram ressuscitar essas faixas e criaram um som bem divertido.

Chiddy Bang – ‘Truth’ (sample de ‘Better things’ – Passion Pit)

Chiddy Bang – ‘The opposite of adults’ (sample de ‘Kids’ – MGMT)

A primeira faixa tem um clipe sensacional e abusa dos tons eletrônicos para dar uma cor nova à grudenta ‘Better thing’, do Passion Pit. A segunda também tem um clipe bom de se ver e um rap nada hermético, que você até pode apresentar pros seus pais, se quiser.

Aproveita. E pra ler mais algumas barbaridades infundadas sobre o tema e ouvir um pouco de música boa, clica aqui embaixo.

(more…)

CLIPE: M.I.A. – ‘XXXO’

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 15 agosto, 2010

Eis um clipe para se ver em alta definição.

Tagged with: ,

Música boa: Kid Cudi, Consentino e Batmanglij

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 1 agosto, 2010

Não é nenhuma obra de arte essa faixa ‘All summer’, criada para uma campanha da Converse, com o rapper Kid Cudi, Bethany Consentino (a vocalista apaixonante do Best Coast) e Rostam Batmanglij (multi-instrumentista gênio do Vampire Weekend), mas é boa música, pra divertir.

A canção (que você pode baixar de graça) valeu pelo videoclipe criativo e pra mostrar que Batmanglij é mesmo um cara bom de som, transbordando as referências mais ecléticas e esquisitonas.

A boa ideia das cabeças no vídeo, parece, foram inspiradas no trabalho do designer Eric Testroete. No site ele explica, passo-a-passo, como fez o ‘autorretrato artesanal em 3D’.

Efeito Justice?

Posted in música, videoclipe by Bruno Boghossian on 11 julho, 2010

O clipe colorido, a batida eletrônica descolada e o vocal afetado devem ser o empurrão que faltava para dar o sucesso merecido ao DJ francês Thibaut Berland, que assina suas músicas como Breakbot. O produtor é mais um exemplar da vertente moderninha da música eletrônica da França, cujo expoente é a dupla Justice.

O som do Breakbot lembra o de seus antecessores e o vídeo da ótima ‘Baby I’m yours’ também tem elementos gráficos semelhantes ao clipe de ‘D.A.N.C.E.’, hit que pôs definitivamente o Justice no mapa da música pop. Some-se um contrato com a também francesa Ed Banger Records (a mesma do Justice, claro) e alguma referência aos vocais dos suecos do Miike Snow e chegamos a uma provável máquina de hits eletropop.

(Dica da @annavirginia)

CLIPE: Mia Doi Todd por Michel Gondry

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 22 março, 2010

Só alguém como Michel Gondry consegue produzir um vídeo tão esteticamente interessante com tão pouco. Nesse clipe de “Open Your Heart”, cantora americana Mia Doi Todd, ele só precisou de algumas dezenas de figurantes com camisetas bicolores pra criar jatos de tinta, espirais coloridas e ziguezagues hipnotizantes. A música não é das minhas favoritas, mas o vídeo vale, especialmente pela segunda metade.

Dica do Spike Jonze, que tem um blog cheio dessas coisas.

Tagged with: ,

Lykke Li & Bon Iver: Dance Dance Dance

Posted in música, videoclipe by Gabriel Paiva on 1 outubro, 2008

Se você não conhece, deveria: Lykke Li, cantora sueca que teve seu debut esse ano com o disco “Youth Novels”, está arrasando lá fora, aqui dentro e até no Japão. 22 anos, dona da voz mais doce dos últimos tempos, gravou com Bon Iver numa praça em Los Angeles a música “Dance Dance Dance”, presente no álbum da garota.

O Bon Iver, projeto solo do ex-membro do DeYarmond Edison, Justin Vernon (o cara que provou que nem todo mundo com uma acoustic guitar sozinho faz o mesmo som), empresta alguns sussurros e o instrumental pra suequinha soltar a voz e dançar dançar dançar.

O debut do Bon Iver, também deste ano, “For Emma, Forever Ago”, arrebentou na crítica especializada. “This record is so complete, it’s like a skin that has been shed… it is a powerful act of transformation… isolation doesn’t get more splendid than this”, saiu na página 100 da Mojo, na época de seu lançamento, em fevereiro.

Aproveite e assista o vídeo, ficou uma graça:

Vídeo: TV on the Radio – “Golden Age”

Posted in videoclipe by Guilherme Sorgine on 17 setembro, 2008

Graças aos deuses da boa música saiu o novo clipe do TV on the Radio, “Golden Age”. Para quem está acostumado com o som algo soturno da banda, vale sacar a batida funkeada da nova música, com um clima mais alto astral do que a média do grupo. Felizmente, os ritmos quebrados e os (belos) vocais em camadas continuam por lá.

Melhor que isso só saber que o álbum completo, “Dear Science,”, sai dia 23

The Coral relança hits, raridades e divulga nova faixa

Posted in álbum, videoclipe by Bruno Boghossian on 11 agosto, 2008

No início dessa década, os músicos britânicos do The Coral (amigos do Noel Gallagher, pra constar) fizeram sucesso em seu disco de estréia, impulsionados principalmente pelo hit “Dreaming of You”. A faixa chegou ao 13º lugar das paradas do Reino Unido e o álbum “The Coral” foi indicado ao Mercury Music Prize – o que é um grande feito para uma banda do país.

Desde 2002, a banda lançou outros quatro discos e, é claro, não conseguiu repetir o mesmo sucesso. Agora, o The Coral marcou para setembro o lançamento de uma coletânea de singles e raridades, intitulada “Singles Collection”. O álbum duplo vai trazer a versão original e uma demo de “Dreaming of You” e só uma canção inédita, “Being Somebody Else”, que teve um clipe divulgado no site oficial da banda. Faixa simpática que tem um quê de Titãs…

Videoclipe bom, música ruim

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 11 agosto, 2008

Só uma pílula pra vocês se divertirem um pouco hoje: a banda americana de rock alternativo Morningwood lançou o clipe hilário de “Sugarbaby”, canção chatinha e novo single da banda, que vai ser lançado oficialmente amanhã. No vídeo, a vocalista Chantal Claret é uma marionete que não lembra em nada aquelas das festinhas infantis que você costumava freqüentar. Ela cheira cocaína, faz sexo oral num cara com um bigode suspeito, bebe todas, trai o namorado e… peraí, é a Amy Winehouse?

Quem quiser conhecer mais o Morningwood pode entrar na página da banda no MySpace.

Conor Oberst lança primeiro clipe de álbum solo

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 8 agosto, 2008

O embaixador da folk music contemporânea, Conor Oberst, acaba de lançar o primeiro clipe de seu álbum solo, lançado no dia 5 de agosto. O cantor e compositor passou pelo Brasil recentemente, em dois shows em São Paulo e um em Porto Alegre para promover o disco.

No vídeo “Souled Out!!!”, Conor acorda, escova os dentes, vai à piscina e vai ao supermercado – ou pelo menos ele finge que faz isso. Todo o pano de fundo é projetado em imagens atrás dele em uma tela. Idéia interessante.

“Souled Out!!!” estava destinada a ser o primeiro single informal do disco. A canção não foi oficialmente lançada e promovida, mas foi uma das primeiras faixas divulgadas no site oficial do artista. A pena é que, apesar de atraente, está looonge de ser uma das melhores músicas do álbum.

Quem quiser ter uma noção completa do trabalho de Conor pode ouvir todas as faixas no site oficial do artista. Recomendo “Cape Canaveral”, “Lenders In The Temple” e a quase-vinheta “NYC-Gone, Gone”.

Tagged with: ,

Be Your Own Pet lança videoclipe de música censurada

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 7 agosto, 2008

É o último vídeo antes do fim. Essa não é nenhuma notícia apocalíptica, mas sim o último clipe do Be Your Own Pet. Na semana passada, os músicos da banda americana anunciaram que se separariam depois dos shows marcados para este mês na Inglaterra.

Para o último adeus, o quarteto de punk/garage rock decidiu fazer um tipo de provocação à indústria fonográfica. A canção escolhida para o vídeo foi “Becky”, faixa que foi censurada pela gravadora Universal por ser muito violenta e teve que ficar de fora do segundo disco do grupo, “Get Awkward”.

“Becky” é uma balada estilo anos 1960, o que é bem diferente das outras canções deste álbum do Be Your Own Pet. Por isso mesmo, muita gente estranhou o fato de a gravadora cortar uma canção considerada uma das mais comerciais do disco. Basta prestar atenção na letra pra enetnder a frescura da Universal. A faixa fala de duas adolescentes que eram muito amigas, até que uma delas trai a confiança da outra. Naturalmente, a amiga traída esfaqueia a traidora e vai parar na prisão.

I heard you talked a lot of shit about me
To your new best friend
Doesn’t matter anyway, cuz I’ll find a brand new friend, okay
Me and her, we’ll kick your ass,
We’ll wait with knives after class!

Em um artigo no MySpace da banda à época do lançamento de “Get Awkward”, a vocalista Jemina Pearl Abegg explicou que “Becky” e outras duas canções – “Black Hole” e “Blow Yr Mind” tinham sido cortadas pela gravadora por serem muito violentas e que só seriam liberadas se as letras fossem alteradas. A banda decidiu não mudar o trabalho, porque acharam que “não havia nada de errado com as letras em primeiro lugar”.

Mas, infelizmente, no vídeod e “Becky, a banda não provocou a gravadora tanto assim. O próprio shit da estrofe destacada foi censurado, junto com outro bullshit e um fucking. Talvez ainda tenha gente preocupada em conseguir contratos pra projetos paralelos depois do fim da banda…

Quem se lembra do Caesars?

Posted in álbum, videoclipe by Bruno Boghossian on 5 agosto, 2008

Nessa época de ascensões rápidas e esquecimentos ainda mais velozes, a banda sueca de indie rock Caesars pode pelo menos se orgulhar de ser um one hit wonder relevante. No início de 2005, o grupo emprestou sua canção “Jerk It Out” ao comercial do recém-lançado iPod Shuffle.

O aparelho da Apple se tornou febre e, conseqüentemente, a faixa virou um pequeno hit em pistas de dança. Tanto é que a banda decidiu relançar “Jerk It Out” em seu álbum seguinte, que chegou às lojas três meses depois do Shuffle. Pra quem não se lembra, aqui vai o clipe oficial da música.

Agora, o quarteto se prepara pra lançar seu primeiro disco em três anos e, surpreendentemente, não vai colocar seu único hit pela terceira vez em um álbum. “Strawberry Weed”, o sexto disco da banda, já saiu na Escandinávia, mas só chega aos EUA no dia 19 de agosto, com 24 faixas (é, eles tinham 24 canções pra gravar). Dessa vez, os músicos abandonaram os tecladinhos grudentos e gravaram um powerpop que lembra algumas bandas de pop rock do fim dos anos 1990 e do início desse século.

O primeiro single do disco, “Boo Boo Goo Goo”, já ganhou um clipe. Você pode assistir ao vídeo aqui, cortesia da revista americana Spin.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

M83 lança videoclipe de “Kim & Jessie”

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 1 agosto, 2008

O estilo John Hughes está em alta nessa temporada de clipes. Além do Vampire Weekend, agora é o “grupo” francês M83 quem homenageia o diretor que praticamente construiu a estética de filmes pop dos anos 1980 (vide “Gatinhas e Gatões” e “Curtindo a Vida Adoidado”). Aliás, eu digo “grupo” porque, na verdade, o M83 é basicamente o músico Anthony Gonzalez.

No vídeo recém-lançado de “Kim & Jessie”, Gonzalez casa uma fotografia oitentista com o som já consagrado de “Saturdays = Youth”, quinto álbum do artista, lançado em abril deste ano. Meninas de rosa shocking andando de patins e fazendo uma coreografia ridícula dão do tom da brincadeira.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Quem assistiu ao clipe até o fim percebeu que o “mundo secreto” de Kim e Jessie não é nada do que o comportamento girl on girl de todo o vídeo sugere. É só mais uma tradicional canção ao estilo shoegazing para adolescentes ouvirem em seus quartos pensando na vida.

Gonzalez é fã de histórias de garotas melancólicas que se sentem estranhas no ninho e acabam descobrindo a felicidade. Então eu aproveito a oportunidade pra indicar, pra quem não conhece, mais uma historinha de transformação em um bom vídeo e uma excelente música: “Graveyard Girl”, que me lembra muito The Jesus and Mary Chain.

Vampire Weekend lança clipe de “Cape Cod Kwassa Kwassa”

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 31 julho, 2008

A esse ponto, algumas pessoas já devem ter esquecido da existência do Vampire Weekend, hype do início do ano. Mas eles ainda existem! E, sim, lançaram mais um clipe sem graça para a sua videografia. Pelo menos na minha opinião, a banda deveria pensar em parar de perder tempo gravando vídeos e se concentrando em boas músicas, como é o caso de “Cape Cod Kwassa Kwassa”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Pra esse clipe, a banda decidiu fazer uma narrativa – que casou bem com o tema da música, mas teve uma execução um pouco constrangedora. A canção fala do choque de culturas entre moradores de Cape Cod (destino de férias de parte da elite americana) e pessoas que dançam o kwassa kwassa (ritmo típico da República Democrática do Congo).

No vídeo, esse contraste se transformou em patricinhas e mauricinhos versus góticos – tudo com um visual que lembra os filmes de John Hughes (diretor de “Gatinhas e Gatões”, “Clube dos Cinco” e “Curtindo a Vida Adoidado”).

A título de curiosidade, vale dizer que o vocalista Ezra Koenig confirmou, em entrevista recente à MTV americana, que Peter Gabriel – citado na canção – vai mesmo gravar uma versão de “Cape Cod Kwassa Kwassa”. Vai ser, no mínimo, interessante.

Leia também:
Entrevista com Rostam Batmanglij (Vampire Weekend)

Dupla eletrofunk Chromeo lança clipe de “Momma’s Boy”

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 28 julho, 2008

A dupla canadense de eletrofunk Chromeo lançou na última sexta-feira o clipe de “Momma’s Boy”, faixa do segundo álbum da banda, “Fancy Footwork”. A balada com elementos de dance pop segue o estilo irreverente das canções do grupo. A letra “autobiográfica” (segundo a própria dupla) conta uma experiência de um filhinho de mamãe que sofre com complexo de Édipo.

You’ve got it so bad
When the only boy you know is your dad
And boy you got it so wrong when you look into her eyes and all you see is your mom

Quem quiser ouvir mais canções do Chromeo pode visitar a página da banda no MySpace.

Tagged with: ,

Devendra Banhart lança clipe de “Carmensita” (com Natalie Portman)

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 23 julho, 2008

Tem uma galera por aí que odeia o Devendra Banhart, que acha ele um riponga chato pacacete, que diz que ele é pseudo-intlectual etc. E é claro que o músico não ganhou mais amigos depois que assumiu seu relacionamento com a musa Natalie Portman. A mim só cabe perguntar: por que, meu Deus?

Agora os dois pombinhos aparecem juntos numa linda bizarra história de amor no clipe de “Carmensita”, do disco “Smokey Rolls Down Thunder Canyon” (2007).

Apesar da “trilha sonora” em castelhano, o vídeo é inspirado em filmes indianos antigos e mostra Devendra como um príncipe meio afeminado que luta para salvar a princesa Natalie das garras de um marajá malévolo. Clipe divertido para uma excelente canção do músico.

Tokyo Police Club lança videoclipe de “Graves”

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 21 julho, 2008

O quarteto canadense Tokyo Police Club lançou o quarto clipe de seu álbum de estréia, “Elephant Shell”. No vídeo de “Grave”, os integrantes da banda tocam em um antiquário, iluminados por lâmpadas e abajures que piscam como se fossem luzes de uma boate. Isso que é classe!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Como em quase todas as canções do disco, você pode estranhar a classificação da banda como indie rock ao ouvir os primeiros acordes de “Graves”. Mas pode ficar tranqüilo: o som do Tokyo Police Club não é emo. O grande responsável por rasgar esse rótulo é o vocalista Dave Monks. Imitando Cantando como Colin Meloy (The Decemberists) e até como Ben Gibbard (Death Cab For Cutie), o líder do grupo dá às canções um aspecto mais suave e mais pop.

Vale lembrar que o Tokyo Police Club já se apresentou no Brasil, em novembro do ano passado, no festival Planeta Terra. Naquela época, o quarteto sequer tinha lançado o primeiro álbum e foi recebido com certa frieza apesar do estilo musical empolgante.

Futureheads lançam clipe de “Walking Backwards”

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 15 julho, 2008

A banda inglesa Futureheads (que pode ou não se apresentar no Brasil em agosto, dependendo da novela do Indie Rock Festival) lançou ontem o clipe de “Walking Backwards”. No vídeo, o grupo de pós-punk usou quatro fantoches para representar seus integrantes.

No vídeo, uma versão Vila Sésamo da banda faz passagens de som, grava em estúdio e participa de sessões de fotos. Uma estética tão lúdica quanto a pegada power pop das canções da banda.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

“Walking Backwards” deve ser o quarto single de “This Is Not The World” – terceiro álbum dos ingleses. As canções “Broke Up The Time”, “The Beginning Of The Twist” e “Radio Heart” foram lançadas antes mesmo que o disco chegasse às prateleiras, em maio. Nesse ritmo frenético de promoção, é bem capaz de as 12 faixas do álbum aparecerem como singles até o fim do ano.

Banda de Zooey Deschanel e M. Ward lança primeiro clipe

Posted in videoclipe by Bruno Boghossian on 13 julho, 2008

Quem conhece as baladinhas do She & Him dificilmente poderia imaginar que o primeiro vídeo da banda mostraria decapitações, poças de sangue e freiras zumbis. O cenário mórbido é fruto da mente possivelmente perturbada do diretor Ace Norton, que mostra um bizarro interesse por videoclipes com pessoas mortas. Norton queria produzir mais um clipe sangrento, mas Zooey Deschanel e M. Ward teriam pedido ao diretor que desse ao vídeo um visual mais “bonitinho”, que combinasse com o estilo da canção.

O resultado foi esse vídeo divertido de “Why Do you Let Me Stay Here?”, com jeito de um desenho animado que você não deixaria que seus filhos assistissem.

Pra quem não conhece, o She & Him é um projeto que foi criado pela atriz Zooey Deschanel (“Quase Famosos”, “Guia do Mochileiro das Galáxias”) e pelo músico M. Ward em 2006. Os dois se conheceram em um set de filmagem e começaram a trabalhar juntos – Zooey compondo e cantando; Ward produzindo as faixas. O primeiro álbum da dupla, “Volume One”, só foi lançado em março deste ano, com canções de indie folk e indie pop, e toques de música country.

Em um ano que teve musas do cinema como Scarlett Johansson se aventurando no mundo da música, provavelmente nenhuma outra recebeu tantas propostas de casamentos de fãs quanto Zooey. Graças ao jeito angelical, às letras românticas e à voz inacreditavelmente doce, a atriz deixou marmanjos de todo o mundo babando por ela.

Para o sucesso musical do She & Him, contou também a experiência e o talento de M. Ward, cantor e compositor americano que trabalhou com artistas como Cat Power, Bright Eyes e Jenny Lewis. Atualmente, o músico é um dos nomes mais respeitados do cenário indie folk. Seu último disco “Post-War”, foi um dos trabalhos mais elogiados no ano de seu lançamento, em 2006.

Radiohead lança clipe feito com lasers (sem câmeras!)

Posted in álbum, videoclipe by Felipe Leal on 11 julho, 2008

Depois de afrontar a indústria fonográfica e vender os discos do In Rainbows na internet e gravar os próprios clipes, com câmeras na cabeça de cada membro da banda, o Radiohead surpreendeu novamente. Dessa vez, o grupo lançou o clipe de “House Of Cards”, seu novo single, criado inteiramente por lasers, sem o uso de uma câmera filmadora sequer.

No clipe, performances do vocalista Thom Yorke, atores e figurantes, foram capturadas com luzes especiais e lasers (das empresas Geometric Informatics e Velodyne Lidar) para registrar movimento. Mas como diabos funciona isso?

É difícil explicar, mas é mais ou menos assim: Primeiro o sistema de scanner da Geometric Informatics utiliza luzes especiais para capturar imagens detalhadas em 3D a uma proximidade próxima, “congelando” a performance de Thom Yorke e dos outros participantes do clipe. Depois, o sistema Velodyne Lidar utiliza múltiplos lasers para capturar ambientes em 3D, com 64 lasers rotatórios que atiram em 360 graus, 900 vezes por minuto, capturando todas as “cenas” exteriores.

Assim como em “Nude”, em que o grupo disponibilizou pedaços da música para que os fãs pudessem criá-la e recriá-la, as imagens de “House Of Cards” e o processo de realização também serão dividido com o público, que poderá fazer seus próprios clipes e depois compartilhá-los com a banda. Yorke explicou que “sempre gostou da idéia de usar tecnologia de uma forma inusitada, o desafio de fazer o máximo possível com ela”, quando questionado sobre a idéia da banda de não utilizar câmeras tradicionais.

“Eu gostei da idéia de fazer um vídeo com seres humanos, vida real e tempo sem utilizar quaisquer câmeras, somente lasers, apenas pontos matemáticos – e como estranhamente emocionante acabou ficando o resultado final”, disse o vocalista, adiantando que o clipe dirigido por James Frost ainda não tem data para sair. Como dica, aconselho vocês a passarem no Dead Air Space, site do Radiohead, e conferir mais algumas imagens.