sub som

Madonna e Gogol Bordello podem tocar juntos no Brasil

Posted in show by Guilherme Sorgine on 16 setembro, 2008

Via GTalk

Me: listen
is that true that you will play with madonna here in brasil?!
Sent at 3:51 PM on Tuesday

Eugene: may be, if i have time off, it should work out, i shell be in rio by that time… she askedme, but i dont know, my gypsy family for sure will be there in her programm though…

Me: it would be amazing man!
the tickets are already sold out!
the place will be crowded
Sent at 4:28 PM on Tuesday

Eugene: yeah, for sure… it s fucking madonna, 40 000 people everynight… but my familja already adopted.. they only play 20 min in the “gypsy part” of show… i mean they are the ones that make it gypsy… they play my song Pala Tute and my uncles song, Doli Doli, and La isla bonita more gypsiesque arrangement…

Será que rola aqui?

Anúncios

ENTREVISTA: Cansei de Ser Sexy

Posted in álbum, entrevista by Felipe Leal on 1 agosto, 2008

O que começou como um projeto “despretensioso” se tornou algo inacreditavelmente grande. Saído de São Paulo, o Cansei de Ser Sexy ganhou imensa projeção na mídia internacional e hoje integra grandes festivais em países como Espanha, Inglaterra e Estados Unidos, onde está baseado. Apesar das saudades, a banda está com a agenda lotada e adianta que só toca no Brasil este ano no caso de uma “proposta inacreditável”, mostrando que o multiinstrumentista e produtor Adriano Cintra e suas companheiras de banda estão muito bem, obrigado.

Em entrevista por telefone ao Subsom, a guitarrista e baterista Luiza Sá contou os detalhes da gravação do segundo álbum da banda, “Donkey”, falou um pouco da trajetória do CSS e aproveitou para dizer que Johnny Lydon, ex-vocalista do lendário grupo Sex Pistols, é um “idiota”. Indo na carona do Radiohead, a banda paulistana disponibiliza gratuitamente e na íntegra seu segundo trabalho no site do selo Trama. Aos interessados, a gravadora manterá o disco no ar pelos próximos três meses.

Como foram as gravações do novo álbum?

Quando entramos no estúdio já tínhamos escrito todas as coisas, aí foi mais gravar mesmo. O primeiro disco foi feito no fundo da casa do Adri (Adriano Cintra, baterista, guitarrista, baixista e produtor da banda) e da Carol (Carolina Parra, guitarrista e uma das bateristas), numa salinha, uma espécie de vinícola, e no “Donkey” tivemos a oportunidade de usar o estúdio da Trama, que é incrível. Ninguém encheu nosso saco pra nada, a gente fez tudo de forma organizada. Para mim foi um aprendizado, porque usei um monte de instrumento que nunca tinha usado, guitarra diferente, amplificadores diferentes, e tudo num processo com uma vibração boa. Fizemos as coisas do nosso jeito e ninguém ficou em cima.

Quais as principais diferenças entre o Donkey e o primeiro CD de vocês?

O primeiro disco foi metade feito no computador e metade em estúdio, foi meio feito como demo mesmo e a gente nunca esperava fazer tantas tours com ele. Nesse segundo, estivemos preocupados em ser o mais próximo possível do que somos ao vivo, do que a gente é como banda e a gente se tornou mais banda depois que começamos fazer tours. O Adriano produziu tudo e a mixagem é do Spike Stente, que já trabalhou com o Massive Attack, Madonna, Gwen Stefani e Björk.

Pelas faixas do disco, dá para ver que vocês amadureceram. Está mais bem produzido, as guitarras ganharam mais peso…

Passamos por muita coisa e não teve nem como a gente não amadurecer. Falo que esse disco é mais pessoal e mais sério que o primeiro disco, que era completamente despretensioso.

(more…)

Tim Festival confirma MGMT, The National e Gogol Bordello

Posted in festival by Bruno Boghossian on 10 julho, 2008

The National / DivulgaçãoO Tim Festival confirmou a escalação das bandas americanas MGMT, The National e Gogol Bordello na edição 2008 do evento, que deve acontecer em ourubro no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Vitória. Os grupos se juntam aos conterrâneos do Gossip e aos ingleses do Klaxons no line-up indie do festival. Também foi anunciado o nome de Paul Weller, cantos, compositor e instrumentista de britpop.

A organização confirmou também os jazzistas Carla Bley Esperanza Spalding. Em junho, Sonny Rollins e Stacey Kent já tinham sido anunciados.

MGMT / Divulgação

A dupla de eletro-rock MGMT é apontada desde o início do ano como a nova promessa da música alternativa e faz uma incansável turnê mundial, que deve se estender até novembro. Com um álbum de estréia foi elogiado pela crítica, a banda vai trazer ao Brasil as batidas eletrônicos com influências do britpop do início dos anos 1990.

Também de Nova York vêm os músicos do The National. O terceiro disco da banda, “Alligator”, foi considerado um dos melhores trabalhos de 2005 por sites e revistas especializados. “Boxer”, lançado no ano passado, também recebeu boas críticas de sites como Stereogum e Pitchfork.

A banda Gogol Bordello foi formada em 1999, também nos EUA, mas tem uma formação cosmopolita e vai trazer ao país uma espécie de música do leste da Europa. O ucraniano Eugene Hütz, vocalista do grupo, é habitué de terras brasileiras: passou o carnaval no Recife e já fez dois shows no Rio de Janeiro este ano. Completam a formação da banda um japonês-romeno, um russo, um israelense, um etíope, um americano, uma tailandesa-americana e uma sino-escocesa.